quarta-feira, 22 de outubro de 2008

cotidianamente

.

guamargo

.


uma da tarde
intra texto all
in front of
a rua, varal
de roupas
ensombradas
de fora a fora
como quintal
na frente
da casa


da sala
a velha
vigia
as vestes
through
the window

que o
bairro
é foda


genro
filha
netos
por trás
de favor
na puxada
esburacada

àrvore
de tabuas
copa de
lonazul

ervas
sobem
nas pernas
do berço

pendido
no prego
o terço
estremece
ao compasso
do coito
e da fome
enorme

na sala
a velha
finge que
dorme

.

poema inédito de paulo vieira

.

7 comentários:

thiara disse...

a terceira estrofe e genial, e, tu termina muito bem, adoro esse teu lado sem muito de ti falando o mundo como um observador de coisas de fora, e, que n'ao s'ao sentimentos, adoro a malandragem dessas tuas coisas
beijo lux

Anônimo disse...

ô luxy.

tava costurando esse cenário do bairro do guamargo, e senti coisas diferentes, tu sabes, é uma chatice esse papo de angajamento, blablabla, mas falar de fora é também muito doído & doido, os outros aparecem melhor, os outros sem os quais nao se é nada. gosto do resultado. agora é a city na veia. que bom que gostou.

beijo luxy,

vieiranembeira

Roseli Sousa disse...

Paulo,
Bom ter te encontrado e vc s sua bela familia!
Poesia é esse rasgo de infinito,
horas infindas, coisas mesmo assim.

Parabénss seu blog é uma límpido céu. As palavras se lêem no reflexo d' água.

Valeu poeta!!
Deixo meu vértice aqui:

Noite vangoghriana
azulzissima página do pensamento
riscos soltos, estrelado céu.(Roseli Sousa)

André de Aviz disse...

caro pablito,

sua forma já é conteudo...

gostei muito

o fraternal abraço,

dré

Anônimo disse...

roseli:

valeu pela visita e por ontem, na celeraçao do amigo tão caro a nós dois. já registrei seu contato.

agora, mais regularidade...

hugs,

vieiranembeira

Anônimo disse...

dré,


valeu a visita, e a leitura, e o comentário, como vão os poemas?
e vais ver o bené falar de drummond lá na igreja? vai ser ducaralho, hein?

yours,

vieiranembeira

thiara disse...

li denovo e reafirmo a terceira estrofe é genial...
bjo